Diretório de Artigos

Longos anos de perfume

Há tempos o ser humano mantém o costume de cuidar tanto da saúde física, quanto da estética, ou seja, sempre manteve a vaidade, e se enganou quem pensou que a maioria de nossos produtos são invenções “recentes”, muito pelo contrário, farmacêuticos tradicionais de famílias antigas já haviam entrado nesse meio e comerciavam muitos tipos de perfumes, cosméticos, loções, batons, lixas de lixar as unhas das moças e moços, e pentes, comuns para as mulheres e do tipo “Flamengo” para os homens.

Os óleos eram bem comuns para os homens, que usavam no cabelo, a famosa “brilhantina”. Cremes como “Pond’s”, para espremer cravos, também naquela época já eram comercializados, e vinham com uma espátula propriamente para que os cravos pudessem ser ejetados.

As principais marcas de esmalte se mantiveram até hoje, que são Impala e Risqué, os famosos pós de arroz, que as mulheres usavam para manterem o tom da pele o mais claro possível, hoje se transformaram em bases em pó, bases líquidas ou nos tão falados “pancakes”, porém hoje o que a maioria das mulheres quer é ficar cada vez menos brancas, dando um efeito mais bronze no seu look.

Os perfumes sempre foram produtos tradicionais, usados pela maioria das pessoas, desde aqueles tempos apesar da escassez quanto à variedade deles.

As marcas mais conhecidas daquela época eram apenas duas, Madeira do Oriente, que vinha um pedaço de madeira em seu frasco, e a Tabu.

Hoje em dia a variedade de perfumes é tanta que as pessoas chegam a ter dificuldade na hora de decidir qual levar, uns acabam levando todas as opções que acharem boas, outros morrem na dúvida mesmo, existe os doces e os mais amadeirados, mas entre esses dois grupos mais conhecidos há um subgrupo gigantesco.

Se você quiser dar uma olhada nos melhores perfumes que existem atualmente clique aqui e veja.

Compartilhe este artigo...

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on pinterest

Veja também...