Arquivo da tag: Criança

Desfralde

Desfralde infantil e o papel da escola

No ensino integral, a quantidade de alunos matriculados cresceu 13,9% em 2017

O papel da escola, sem dúvida, é atuar na área da aprendizagem. E essa atuação não se limita à alfabetização ou ao ensino de disciplinas nas mais diversas áreas do conhecimento.

A escola tem a responsabilidade de formar cidadãos para a vida e essa formação passa por diferentes etapas, muitas vezes é acompanhada desde a primeira infância, no período de desfralde.

A escola tem a responsabilidade de formar cidadãos para a vida e essa formação passa por diferentes etapas, muitas vezes é acompanhada desde a primeira infância, no período de desfralde.

O Censo Escolar do Ministério da Educação (MEC) mostra que, em 2017, o número de alunos no ensino básico cresceu, passou de 8,2 milhões para 8,5 milhões.

O fenômeno é relacionado a uma emenda constitucional aprovada em 2009, tornando obrigatória a matrícula de crianças de 4 e 5 anos na educação infantil, e ao aumento da oferta de escolas, que na categoria “creche” cresceu 19,4%.

No Ensino Fundamental, a porcentagem de alunos matriculados na modalidade integral subiu 13,9%, em 2017, em relação a 2016, quando foi registrado um percentual de 9,1%. E segundo o MEC, essa quantidade deve chegar a 13% em 2018.

O levantamento ainda não foi divulgado. Esses números só mostram a importância da Educação Infantil para o desenvolvimento de uma criança, confirmando o que diversas pesquisas já comprovaram.

O papel da escola, sem dúvida, é atuar na área da aprendizagem. E essa atuação não se limita à alfabetização ou ao ensino de disciplinas nas mais diversas áreas do conhecimento. A escola tem a responsabilidade de formar cidadãos para a vida e essa formação passa por diferentes etapas, muitas vezes é acompanhada desde a primeira infância, no período de desfralde.

O Censo Escolar do Ministério da Educação (MEC) mostra que, em 2017, o número de alunos no ensino básico cresceu, passou de 8,2 milhões para 8,5 milhões. O fenômeno é relacionado a uma emenda constitucional aprovada em 2009, tornando obrigatória a matrícula de crianças de 4 e 5 anos na educação infantil, e ao aumento da oferta de escolas, que na categoria “creche” cresceu 19,4%.

No Ensino Fundamental, a porcentagem de alunos matriculados na modalidade integral subiu 13,9%, em 2017, em relação a 2016, quando foi registrado um percentual de 9,1%. E segundo o MEC, essa quantidade deve chegar a 13% em 2018. O levantamento ainda não foi divulgado. Esses números só mostram a importância da Educação Infantil para o desenvolvimento de uma criança, confirmando o que diversas pesquisas já comprovaram.

Nesse processo, segundo a coordenadora pedagógica do Colégio Marista Champagnat, de Ribeirão Preto (SP), Juliana Christina Rezende de Souza, o papel da escola se acentua cada vez mais, pois é nos espaços coletivos que as crianças pequenas se identificam umas com as outras e constroem conhecimentos. “A aprendizagem por meio da interação com os pares é importante para a formação e desenvolvimento das crianças. E quando a questão é ensinar a fazer as necessidades fisiológicas sem precisar de fraldas, esse aprendizado coletivo contribui para a criança se sentir mais confiante e abandonar o acessório com mais segurança”, avalia Juliana.

Durante o desfralde, ter um olhar atento para as particularidades de cada criança é um trabalho desafiador para o educador, no entanto, quando há uma parceria consolidada com a família, a tarefa fica mais fácil e o desenvolvimento integral da criança, certamente, estará garantido. Por isso, é importante que os pais comuniquem à escola a necessidade de realizar o desfralde para analisar em conjunto a melhor forma de lidar com a criança durante o processo.

Segundo o pediatra americano T. Berry Brazelton, estudioso sobre o desenvolvimento infantil, é importante que a escola considere alguns pontos no período do desfralde: aceitar cada criança como ela é; ter um banheiro adaptado às necessidades das crianças; contar com um adulto que não sofre a pressão de precisar desfraldar a criança acompanhando-a no banheiro; garantir à criança que não desfraldou ou que teve retrocessos a tranquilidade de estar no grupo sem ser ridicularizada pelos adultos ou demais crianças; evitar em sala de aula comparações sobre os processos de desfralde e favorecer à criança situações e atividades em que ela possa estar no controle.

Todas essas ações são fundamentais para garantir o protagonismo da criança diante de um processo tão importante como o desfralde. Ela precisa ter condições de conhecer seu próprio corpo e a escola deve ser parceira nesse período de descobertas.

Sobre a Rede Marista de Colégios

O Colégio Marista Champagnat integra a Rede Marista de Colégios (RMC), presente no Distrito Federal, Goiás, Paraná, Santa Catarina e São Paulo com 18 unidades. Nelas, os mais de 25 mil alunos recebem formação integral, composta pela tradição dos valores Maristas e pela excelência acadêmica alinhada ao mercado. Por meio de propostas pedagógicas diferenciadas, crianças e jovens desenvolvem conhecimento, pensamento crítico, autonomia e se tornam mais preparados para viver em uma sociedade em constante transformação. Saiba mais em www.colegiosmaristas.com.br.

, confirmando o que diversas pesquisas já comprovaram.

Nesse processo, segundo a coordenadora pedagógica do Colégio Marista Champagnat, de Ribeirão Preto (SP), Juliana Christina Rezende de Souza, o papel da escola se acentua cada vez mais, pois é nos espaços coletivos que as crianças pequenas se identificam umas com as outras e constroem conhecimentos.

“A aprendizagem por meio da interação com os pares é importante para a formação e desenvolvimento das crianças. E quando a questão é ensinar a fazer as necessidades fisiológicas sem precisar de fraldas, esse aprendizado coletivo contribui para a criança se sentir mais confiante e abandonar o acessório com mais segurança”, avalia Juliana.

Durante o desfralde, ter um olhar atento para as particularidades de cada criança é um trabalho desafiador para o educador, no entanto, quando há uma parceria consolidada com a família, a tarefa fica mais fácil e o desenvolvimento integral da criança, certamente, estará garantido.

Por isso, é importante que os pais comuniquem à escola a necessidade de realizar o desfralde para analisar em conjunto a melhor forma de lidar com a criança durante o processo.

Segundo o pediatra americano T. Berry Brazelton, estudioso sobre o desenvolvimento infantil, é importante que a escola considere alguns pontos no período do desfralde: aceitar cada criança como ela é;

  • ter um banheiro adaptado às necessidades das crianças;
  • contar com um adulto que não sofre a pressão de precisar desfraldar a criança acompanhando-a no banheiro;
  • garantir à criança que não desfraldou ou que teve retrocessos a tranquilidade de estar no grupo sem ser ridicularizada pelos adultos ou demais crianças;
  • evitar em sala de aula comparações sobre os processos de desfralde e favorecer à criança situações e atividades em que ela possa estar no controle.

Todas essas ações são fundamentais para garantir o protagonismo da criança diante de um processo tão importante como o desfralde.

Ela precisa ter condições de conhecer seu próprio corpo e a escola deve ser parceira nesse período de descobertas.

Sobre a Rede Marista de Colégios

O Colégio Marista Champagnat integra a Rede Marista de Colégios (RMC), presente no Distrito Federal, Goiás, Paraná, Santa Catarina e São Paulo com 18 unidades.

Nelas, os mais de 25 mil alunos recebem formação integral, composta pela tradição dos valores Maristas e pela excelência acadêmica alinhada ao mercado.

Por meio de propostas pedagógicas diferenciadas, crianças e jovens desenvolvem conhecimento, pensamento crítico, autonomia e se tornam mais preparados para viver em uma sociedade em constante transformação. Saiba mais em www.colegiosmaristas.com.br.

Você também pode gostar: Amamentação – 15 dicas para amamentar o seu filho
Amamentação

Amamentação – 15 dicas para amamentar o seu filho

Todos já ouvimos falar da grande importância de alimentar os recém-nascidos com leite materno. Por vezes essa tarefa pode ser complicada ou até dolorosa para a mãe.

No artigo de hoje, vamos dar algumas dicas para amamentar o seu bebé sem problemas.

Existem algumas dicas que poderá seguir para uma amamentação sem dificuldades e cómodas para si e para o seu bebé. Passamos de seguida a explicar como o fazer de forma correcta:

Posicione o seu bebé direito

Especialistas afirmam que esta é uma das dicas mais importantes para uma amamentação correcta do seu filho. O bebé deverá estar totalmente virado para si – a cabeça, o peito, as pernas e os joelhos devem estar voltados para si. A melhor forma de pegar na criança é tendo as suas nádegas numa mão e a cabeça deitada sobre a curva do cotovelo do outro braço. Com a mão deste braço apoie o seio com os dedos todos, não tocando na zona escura à volta do mamilo – a aréola.

De seguida toque com o mamilo no lábio inferior do bebé, para que este abra a boca e aconchegue a criança ao seu corpo para que a boca se fixe na aréola. Quanto mais o mamilo estiver dentro da boca do bebé, menos este se mexe, proporcionando uma amamentação contínua.

Não permita o desconforto ou dores durante a amamentação

Uma amamentação correcta não deve ser acompanhada de dores ou desconforto. Se isto acontecer, interrompa o bebé com o dedo e volte a posicioná-la até encontrar uma posição mais confortável para si.

Já aqui falámos de alguns conselhos muito importantes para a gravidez. Sugerimos que leia qual a melhor alimentação que deve seguir enquanto está grávidao que deve comer e o que não deve comer durante a gravidez e ainda como diagnosticar e tratar a diabetes durante a gravidez.

Interrompa a amamentação se o bebé não o fizer de forma correcta

Por vezes a criança pode se sentir confusa por passar da chupeta para o seio ou para um biberão e não conseguir prender convenientemente o mamilo. É importante verificar que o bebé tem a boca bem aberta antes de lhe dar de mamar e certifique-se que a aréola está praticamente toda dentro da sua boca.

Uma amamentação pode variar entre os vinte e os trinta minutos. Se achar que o bebé está distraído, faça-o arrotar e mude de seio, deixando-o mamar o tempo que ele quiser.

Amamentar - dar de leite ao seu bebé

Dê de mamar com os dois seios

É importante dar de mamar com os dois seios. Quando o bebé parecer desinteressado, dê-lhe de mamar com o outro seio e na próxima vez que o amamentar, comece por este mesmo seio.

Dê de mamar regularmente

Por vezes pode ser assustador para a mulher a quantidade de vezes que a criança precisa de ser amamentada. Além do forte laço que cria com o seu bebé enquanto lhe está a dar de mamar, o leite materno faz que a criança precise de o fazer muitas vezes, sendo que nas primeiras semanas poderá ter que amamentar entre oito a dez vezes por dia.

Não deixe que os mamilos fiquem rijos

Os exercícios que muitas vezes são sugeridos para que os mamilos fiquem mais rijos, não são nada favoráveis e até podem prejudicar a amamentação do bebé. Lembre-se sempre de colocar o bebé numa posição correcta, evitando assim dores e desconfortos enquanto dá o leite à criança.

Use um aparelho para os seios

Se tiver os mamilos invertidos, é aconselhável a utilização de um aparelho a partir do sexto ou sétimo mês de gravidez. Este aparelho ajuda na sucção suave, ajudando a puxar o mamilo para fora. Não é aconselhável que use este aparelho mais de vinte minutos diários!

Escolha um soutien de amamentação adequado

O melhor soutien que pode escolher, é um que tenha o número acima daquele que regularmente usa. Dê preferência aos de algodão e certifique-se que a abertura para amamentar é a suficiente, de forma a que o seio não fique apertado. Evite fechos com velcro e verifique se consegue abrir e fechar o soutien com um mão, factores que ajudarão a ser mais discreta na hora de amamentar o seu recém-nascido. Verifique ainda se as alças estão devidamente colocadas e que o soutien não fica apertado ao redor do peito.

Não utilize sabonete nos mamilos

O uso de sabonete para a higiene dos seus seios, faz com que estes sequem. Os seios já dispõem de um mecanismo de desinfecção, uns pequenos altos existentes nas aréolas, glândulas que produzem um óleo com anti-séptico.

Deixe secar convenientemente os mamilos

É muito importante que deixe os mamilos secarem ao ar, antes de os cobrir. Não são aconselháveis quaisquer tipo de compressas à base de plástico ou outros materiais que façam com que o peito absorva humidade.

Atenção aos canais bloqueados

Roupas apertadas, longos períodos sem amamentar, cansaço e outros factores, podem fazer com que os canais do leite possam ficar bloqueados, podendo originar infecções se não forem tratados atempadamente. Se sentir dor ou um ponto rijo em qualquer zona do seu peito, experimente massajá-lo, começando de cima para baixo e descendo com movimentos circulares. O calor poderá ajudar a libertar os canais entupidos.

O próprio chupar da criança, ajudará também a desobstruir possíveis bloqueios nos canais, por isso faça com que o bebé se alimente do seio que possa parecer bloqueado. Em menos de 24 hora o bloqueio deverá deixar de existir, antes mesmo de você se aperceber disso.

Como amamentar e que cuidados deve ter durante a amamentação do seu bebé recém-nascido

Cure mamilos feridos com o seu próprio leite

A forma da criança chupar é a principal causa de um mamilo ferido, por isso é importante que se certifique que ela o faz da forma correcta. Poderá ajudar a cicatrização, deixando os mamilos secar ao ar depois de ter amamentado. De seguida, deixe sair um pouco de leite e espalhe-o pela zona afectada. O resto do leite da amamentação é rico em lubrificantes e têm substâncias antibióticas, que ajudam a sarar o seio afectado.

Trate mamilos gretados com Vitamina E

Se notar que no final de amamentar o seu bebé, os seus mamilos estão gretados, pegue numa cápsula de Vitamina E, fure-a, e coloque uma gota sobre o mamilo, esfregando ligeiramente. Use no máximo uma ou duas gotas apenas.

Produza mais leite com a ajuda de compressas quentes

Por vezes a mãe pode produzir mais leite que aquele que é necessário à alimentação do bebé. Poderá compensar este facto, ajudando os canais a abrir, para que haja uma libertação de leite mais eficaz. Colocar compressas quentes e molhadas nos seios, faz com que os canais fiquem mais abertos. Pode ainda deixar que o bebé se alimente durante mais tempo e mais vezes por dia. Não se esqueça de beber mais líquidos durante o dia, de forma a urinar mais vezes.

Controle o leite que os seus seios deitam

A produção de leite na mulher é muito sensível aos estímulos exteriores. Um simples chorar de um bebé pode ser o suficiente para que a seio comece a verter leite. Se isto acontecer em excesso, comprima o mamilo com a palma da mão ou utilize compressas laváveis (preferencialmente à base de algodão) sobre o seio. Um lenço de algodão, pode perfeitamente desempenhar a função.

Mastite – seios inflamados

Se os seus seios estiverem inflamados, se tiver sintomas gripais ou febre, consulte o seu médico. Pode estar perante um caso de mastite, uma inflamação nos seios.

Este problema pode ser tratado com antibióticos, que deverá tomar até ao final da embalagem. Descansar na sua cama, beber muitos líquidos e amamentar mais frequentemente, poderão também ajudar a melhor a infecção. Note que o leite não tem qualquer infecção, não pondo em risco a saúde do bebé.

Não deverá parar de amamentar se tiver os seios infectados, já que isso poderá provocar um abcesso no seio.

poupar

7 Conselhos para ensinar o seu filho a poupar


Devido à sua curta idade e ao entendimento da vida, ensinar os seus filhos desde pequenos a poupar pode chegar a ser uma tarefa difícil, mas não impossível.

Os seus filhos estão a ser educados de uma maneira materialista, sempre pensando em parecer ou ter mesmo o que os seus vizinhos têm. Vêm na televisão todo o tipo de jogos e de seguida também querem ter.

A triste verdade é que não se ensina às crianças a poupar dinheiro para poder comprar o que querem, e por isso, os pais são chamados a fazer esta tarefa.

Daí, vamos dar-lhe alguns conselhos sobre como pode ensinar os seus filhos a poupar:

  1. Mostre as contas: É importante ser honesto com os seus filhos em matéria de finanças quando já têm uma idade razoável. É necessário ensinar-lhe as faturas que estão por pagar e de onde provém o dinheiro para o pagamento das respetivas faturas. Isto vai ajudar-lhes a entender as contas de despesas e receita.
  2. Ensine a guardar o dinheiro ganho: Cada vez que uma criança recebe dinheiro em mãos, é necessário ensinar-lhes que uma parte desse dinheiro deve ser guardado e colocado numa conta bancária.
  3. Abra uma conta para os seus filhos: Quando atingirem os 9 ou 10 anos de idade é aconselhável que abra uma conta bancária para incentivar-lhes a poupar dinheiro. Isso fará com que se sintam orgulhosos e motivados para guardar dinheiro no banco.
  4. Ajude-lhes a planear os seus objetivos: Se querem comprar algo, trace um plano financeiro de poupança para alcançar esse valor, daquela coisa tão desejada que querem comprar. Recortar uma imagem do produto é uma boa maneira de incentivar a poupar dinheiro para comprar essa coisa.
  5. Seja um modelo a seguir: Esta é a melhor maneira de ensinar os seus filhos, pois eles tendem a repetir o comportamento dos pais, por isso,, se você tiver cuidado com o dinheiro, eles também sairão a si.
  6. Ensine-os a gastar o dinheiro: Quando as crianças recebem dinheiro o primeiro que fazem é comprar algo, por isso o que deve fazer é sentar-se com eles e perguntar o que querem comprar e pedir razões porque realmente necessitam. Isto fará com que pensem duas vezes antes de gastar dinheiro.
  7. Fale do futuro: À medida que os seus filhos nascem é bom mostrar-lhe como cresce o dinheiro com o interesse suposto. Normalmente, as crianças surpreendem-se ao ver o dinheiro a crescer ao deixar na conta bancária.