Diretório de Artigos

Luta para mulher: 4 aulas que vão fazer você emagrecer e ficar com o corpo sarado

Luta para mulher: Boxe, Muay Thai, Kung Fu e MMA.

Testamos 4 modalidades diferentes de luta para mulher que garantem tonificação muscular, muito suor e várias calorias a menos.

De quebra, você ainda ganha maior agilidade e coordenação motora. Confira como é cada aula e entre nessa luta!

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Boxe

Como é a aula  

A aula de 1h30 de duração é dividida em cinco etapas. Tudo começa com o aquecimento que mistura exercícios de corrida, pulos e socos livres.

Nessa fase, os exercícios são feitos com halteres de 2kg em cada mão. Em seguida, um circuito especial intercala movimentos localizados (soco reto, soco lateral, gancho e esquiva) com aeróbicos (pulos e movimentações laterais).

Na terceira etapa, os alunos se dividem em duplas para fazer exercícios de toques de ombro e pisadas nos pés, que trabalham a agilidade e o posicionamento de combate.

Feito isso, chega a hora de realizar as manobras específicas da luta com aparador de socos. Para finalizar o treino, uma série de corda e abdominais, intercalados minuto a minuto, durante cinco minutos contínuos, é feita da forma mais intensa possível.

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Testamos

“Participei de uma aula de boxe da Bodytech e, apesar de malhar há oito meses, terminei o treino com um cansaço que nunca senti antes.

Começar os exercícios segurando halteres de 2kg já me fez suar nos primeiros minutos. Os movimentos exigem muito dos braços e, nesse quesito, confesso que sou superfraca.

Mas segui firme e ainda bem, porque quando chega a hora de fazer as manobras com o aparador de socos, tudo fica bem divertido.

Dá para liberar todo o estresse acumulado e aumentar bastante os batimentos cardíacos.

Quando tudo parece ter terminado, tem ainda a série de corda e abdominais. Sair pingando é inevitável – sinal de que muitas calorias foram perdidas.

O melhor é que o treino é tão dinâmico que não dá nem para sentir que foi uma hora e meia de aula. Ótima opção para quem não tem paciência de passar horas na esteira e na bicicleta.

No dia seguinte, acordei com os braços bem doloridos, porém com vontade de continuar praticando.” – Daniela Carasco, repórter

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Benefícios e contraindicações

Alexandro Almeida, professor de boxe da academia Bodytech, destaca o aumento da força, resistência e equilíbrio como principais vantagens da luta. “Além disso, ela trabalha muito com o psicológico e ajuda a extravasar a agressividade dos alunos”, conta ele.

Em média, uma pessoa com 70 kg chega a gastar 700 kcal durante uma hora e meia, e apesar das pernas também serem trabalhadas, são os braços e abdômen que mais sentem os esforços exigidos durante a aula.

Entretanto, vale um alerta: segundo Alexandro, pessoas com lesões nas articulações em geral devem evitar a prática.

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Onde fazer

A aula acontece na unidade dos Jardins, da Bodytech, de terça e quinta, às 7h15, e de segunda, quarta e sexta, às 20h.

Para mais informações, vale visitar o site da Confederação Brasileira de Boxe

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Kung Fu

Como é a aula

O kung fu é uma aula marcial milenar e trabalha mente e corpo.

Na academia em que fiz a aula, a Tat Wong Kung Fu Academy, em São Paulo, quando um aluno começa, passa por um período de treinamento de cerca de nove semanas. Isto deve acontecer em todas as escolas.

Assim, quem é iniciante faz aulas no mesmo tatame que os mais experientes, mas só se junta à turma quando conhece o básico.

A aula, que dura uma hora, começa com aquecimento intercalado com alongamento. Depois, os alunos fazem, sob orientação do mestre, golpes e também movimentos que inspirados nos animais.

Às vezes, no meio disso, o professor pede para todos pararem e fazer flexão, por exemplo, o que exige bastante do aluno. O tempo passa rápido pois é tudo bem dinâmico.

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Testamos

“Entrei na academia com medo dos golpes dos filmes de kung fu. Mas não teve nada disso. Fiz o que seria uma aula teste, de quem quer se matricular.

Em uma sala com meninos de faixa amarela e branca (as duas primeiras), treinei com mais um aluno. Fiquei com vergonha de estar de legging e todo mundo de uniforme.

Fora de forma, me senti o próprio kung fu panda. Começamos sob orientação da professora Camila Lopes. Primeiro, alongamento misturado com o aquecimento que tem até polichinelo, o que achei bem lúdico.

Aí, são ensinados golpes básicos e a posição de guarda. Mesmo sendo aparentemente simples, me atrapalhei com alguns deles pois tinha que copiar a professora olhando através do espelho.

Deu vergonha também ter que emitir sons durante os movimentos. Segundo a professora, eles ajudam a energia do nosso corpo a circular.

No final da aula, ela ensinou um golpe de defesa pessoal, que treinei com o outro aluno, mas bem de leve, só simulando o golpe. A aula terminou e eu não senti cansaço. Achei que por ser sedentária iria morrer.

Mas a ideia é que o aluno que começa faça aos poucos até chegar à aula completa, o que é bem prudente. Saí de lá com um gostinho de quero mais e curiosidade para fazer o período de adaptação.

Depois que tomei banho minhas pernas deram sinal de vida (estavam pesadas) e, no dia seguinte, meus braços doeram um pouco”, Manuela Aquino, editora de beleza e se saúde.

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Benefícios e contraindicações

Os movimentos do kung fu mexem pernas e braços o tempo todo. Quando há rotação, a barriga também tem que ser contraída.

Assim, os músculos dessas regiões começam a ficar fortes em dois ou três meses. Depois do período inicial de adaptação, o aluno passa a fazer aulas de uma hora e é possível gastar entre 600 e 800 kcal.

Além da melhora no físico, a luta aprimora a concentração, pois é preciso decorar os movimentos e as sequências.

Nas academias há regras de convívio e o respeito aos mais velhos é cultuado. Se você levar isto para sua vida, é mais um benefício. Segundo o mestre De Paula, da Tat Wong Kung Fu, a princípio a luta não tem contradições.

Mas o aluno deve fazer um exame físico e ter autorização de um médico para começar, e renovar todo ano.

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Onde fazer 

Na Tat Wong Kung Fui Academy, as aulas acontecem de segunda à sábado o dia todo. Os alunos não precisam fazer em um horário fixo, o que é uma vantagem.

Um jeito para saber onde há academias sérias, é entrar em contato com a Confederação Brasileira de Kung Fu/Wufu.

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Muay Thai

Como é a aula

O Muay Thai é originário da Tailândia e tem se tornado uma verdadeira febre nas academias.

E não é por menos: essa arte marcial trabalha músculos das pernas, braços e abdômen, além de desenvolver um ótimo condicionamento físico.

Na Academia Oficina, a aula dura pouco mais de hora e inclui golpes de combate em pé, além de um aquecimento bastante intenso.

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Testamos 

“Testei a aula da Academia Oficina, em São Paulo, e fiquei sem fôlego rapidinho.

O Muay Thai exige bastante desde o começo da aula: começamos com um alongamento básico e depois passamos para o aquecimento, alternando corrida de frente, costas e lateral, flexão de braços e polichinelo, além de abdominal.

Depois, passamos para os golpes. Como foi minha primeira aula, dediquei boa parte do tempo a aprender os movimentos mais executados (socos, chutes e cotoveladas) em frente ao espelho – concentração e coordenação são bastante importantes nessa fase, já que os golpes têm que ser executados direitinho para evitar lesões musculares.

Enquanto isso, o pessoal mais experiente suava a camisa para valer nos combates em dupla (luvas e protetor de boca são fundamentais), sempre marcados no relógio. Nesta fase, os alunos variam as duplas a cada round e aplicam todos os tipos de golpe, sem deixar de proteger o rosto.

Segundo Gilmar Araújo, professor de muay thai da Academia Oficina, dá para chegar ao nível dos combates em dupla depois de um mês de treinos regulares.

Perto do final da aula, quando eu já tinha pegado um pouco de prática nos golpes, pude brincar com o saco de areia, o que é ótimo para desestressar!

Para finalizar a aula, fizemos uma sessão de alongamento com direito a vários tipos de abdominais e prancha.

Detalhe: pela primeira vez na vida, acordei com dor no abdômen! Braços e pernas também ficaram um pouco doloridos, sinal de que os músculos foram bem trabalhados.” – Melissa Vaz, repórter de moda

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Benefícios e contraindicações

Gilmar Araújo garante que um aluno intermediário consegue queimar de 800 a 1000 kcal por aula.

Com uma frequência de três vezes por semana, dá para conquistar um corpo definido e sequinho em pouco tempo.

Contudo, a evolução na arte marcial varia bastante de aluno para aluno.

É preciso respeitar o ritmo e as limitações de cada um, mas mesmo quem não tem resistência pode investir, já que o condicionamento vem com o tempo. Já para a academia!

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Onde fazer 

Na unidade Brigadeiro da Academia Oficina, em São Paulo, as aulas acontecem de segunda a sexta nos períodos de manhã, tarde e noite.

Para mais informações, acesse o site da Confederação Brasileira de Muay Thai.

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

MMA

Como é a aula 

Esqueça toda a agressividade do UFC, a aula de MMA é justamente o que não se vê na televisão: muito condicionamento e pouquíssimo contato físico.

Com duração de uma hora, as atividades começam com 10 minutos de corrida e exercícios de deslocamento lateral e diagonal.

Eles ajudam a trabalhar a agilidade e equilíbrio necessários para fazer ataques e esquivas durante a luta.

Em seguida, 10 minutos de exercícios abdominais. Nessa etapa, os alunos formam duplas, enquanto um fica apoiado só com os cotovelos e as pontas dos pés no chão, o outro tenta desequilibrá-lo. 

Fortalecer o abdômen e a região lombar é essencial para as disputas de chão. A parte principal da aula dura em torno de 40 minutos e treina socos, cotoveladas, chutes, caneladas e defesa pessoal.

No início, os exercícios são todos feitos no ar e com um colega à frente, só para servir de mira.

Cada aula tem um objetivo, as primeiras treinam socos e cotoveladas, depois chutes e joelhadas e por último todos os exercícios misturados.

Só então, depois de umas 6 aulas, os alunos podem descontar a raiva e treinar para valer batendo nos sacos de pancada.

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Testamos 

“Morrendo de medo de apanhar, fui testar uma aula de MMA na academia Competition e fiquei surpresa – e levemente frustrada também. 

Não rola nenhuma pancadaria durante os treinos e a quantidade de mulheres é muito maior que a de homens (eram 7 meninas entre os 8 alunos).

Minha dupla, aliás, era uma bailarina superdelicada. Embora eu não faça exercícios regularmente, consegui participar da aula sem ficar exausta.

A parte mais suada foi o início, com a corrida e abdominais, e como o treino desse dia era específico de socos e cotoveladas, senti dor nos braços e ombros no dia seguinte.

Também notei mais leveza no corpo, força nas pernas e capacidade respiratória melhor assim que saí do treino, resultado dos movimentos para conquistar agilidade e exercícios de respiração.

O que eu mais gostei é que a cada atividade, o professor explicava como ela era aplicada durante o combate real e de qual luta ele era originária, já que o MMA é uma mistura de diversas artes marciais” – Juliana Romano, repórter de beleza.

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Benefícios e contraindicações 

Uma hora de MMA bem feita queima entre 400 e 800 calorias, por isso atrai tantas mulheres em busca de emagrecimento.

A aula tem intensidade média a alta, que ativa a queima de gorduras. “Aliada a uma alimentação correta, com 2 aulas semanais a aluna já consegue vermelhor o desenho muscular dentro de 2 meses”, garante Luis Gustavo Cinquini de Souza, professor de educação física e instrutor de MMA da Competition.

Além da queima calórica, os exercícios melhoram a coordenação motora, aumentam a agilidade, a força e a resistência.

Mas se o objetivo é virar lutadora saiba que as aulas não garantem nada. Segundo Luis Gustavo, para se tornar um praticante da luta é preciso fazer musculação e 1 modalidade de artes marciais, pelo menos, além das aulas específicas de MMA.

Imagem Divulgação
Imagem Divulgação

Onde fazer 

As aulas acontecem na unidade da Paulista, da Competition, em São Paulo, às terças e quintas-feiras, das 17h30 às 18h30.

Para saber mais sobre o esporte, visite o site da Comissão Brasileira de MMA.

Via: M de Mulher 

Você também pode gostar Receitas de saladas para o verão

Compartilhe este artigo...

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on pinterest

Veja também...